Sobre

23, 24 E 25 DE FEVEREIRO DE 2017

Instituto de História Contemporânea. Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Universidade Nova de Lisboa.

O abastecimento de produtos alimentares tem sido uma preocupação da sociedade contemporânea. Com a Revolução Industrial, o paradigma da alimentação sofre uma profunda alteração, quer em termos nutricionais, quer na eleição e na seriação de bens essenciais. Assim, a inovação tecnológica permitiu ao Homem dar uma resposta eficiente às sucessivas mudanças políticas, económicas, sociais e culturais no decorrer dos séculos XIX, XX e XXI. Os métodos de transformação e distribuição de alimentos levaram ao aparecimento de redes de distribuição à escala global. A partir da segunda metade do século XX, as exigências da sociedade de consumo potenciaram tais processos de transformação e distribuição, com vista a uma alimentação variada e de melhor qualidade, a preços mais acessíveis e disponível em qualquer altura do ano.

À mudança de hábitos alimentares a uma escala global, Portugal vai aderir tardiamente e lentamente. Hoje, numa altura em que a origem e o tipo de alimentos que consumimos está na ordem do dia, importa compreender como evoluíram os hábitos alimentares desde a segunda metade do século XIX até à actualidade. Neste congresso pretende-se assim reflectir sobre a) a implementação e o desenvolvimento de processos de transformação, designadamente moagens, conservas, secagem, pasteurização, fermentação, torrefacção, refinação, liofilização, refrigeração e congelação; e sobre b) os meios e plataformas de distribuição, designadamente redes de frio, mercearias e mercados municipais.

 

logos-comer

Anúncios